NOSSA MISSÃO
Nesses quase 27 anos de trabalho junto à Espiritualidade, especificamente na área da Transcomunicação Instrumental, lentamente fomos definindo o caminho, os objetivos, as buscas... Hoje nos é claro que nossa pesquisa tem por meta levantar evidências da sobrevivência após a morte e fazer isso de forma controlada para que possa enfrentar análises e investigações científicas. Entendemos que o fenômeno em si é só metade da trajetória. Se ele não for autenticado, não valerá tanto. Assim, temos um objetivo humano, que poderia ser traduzido em auxiliar aqueles que perderam um ser querido – sem esquecer daqueles que estão do Outro Lado igualmente com suas dores e saudades, mas, principalmente, compartilhar com o objetivo dos nossos Superiores de trazer a comprovação da sobrevivência e, quem sabe, oferecer um novo rumo à Humanidade. Por certo que nossa parcela de importância é ínfima, para não dizer irrisória, no entanto, para os voluntários do IPATI é objetivo de vida. Para falar de como vemos essa possibilidade de intercâmbio interdimensional, usarei as palavras de Emmanuel, através de Chico Xavier, que infinitamente mais e melhor expressa o nossos sentimentos:

ELES ESTÃO VIVOS
Ainda quando não reconheças de pronto semelhante verdade, eles te vêem e te escutam! Quanto possível, seguem-te os passos, compartilhando-te problemas e aflições! Compadece-te dos que te precederam na Grande Renovação! Aqueles que viste partir de mãos desfalecentes nas tuas, doando-te os derradeiros pensamentos terrestres através dos olhos fitos nos teus, não estão mortos. Entraram em novas dimensões de existência, mas prosseguem de coração vinculado ao teu coração. Sentem o teu afeto e agradecem-te a lembrança, no entanto, quase sempre se escoram em tua fé, buscando em ti a força para a restauração espiritual que demandam. Muitos deles, ainda, inadaptados à vida diferente que são compelidos a facear, pedem serenidade em tua coragem e apoio em teu amor... Outros muitos jazem mergulhados na bruma da saudade, detidos na sede de reencontro, ante as requisições continuadas dos teus pensamentos de angústia.

Outros muitos não te esquecem: Aqueles que se despediram de ti, depois de longa existência, abençoando-te a vida. Os que amastes, indicando-lhes o caminho para as esferas superiores. Os que levantastes para luz da esperança e aqueles outros que socorrestes um dia, com o ósculo da amizade e da beneficência. Todos te agradecem, estendendo-te os braços no sentido de te auxiliar a transpor as estradas que ainda te cabem percorrer. Auxilia aos entes queridos na Espiritualidade, afim de que te possam auxiliar! Se lhes recorda a presença e o carinho, preenche o vazio que te impuseram à alma, abraçando o trabalho que terão deixado por fazer. Seja a voz que lhes reconforte... Compadece-te dos entes queridos que te antecederam na Grande Libertação. Ora, porque a dor é fonte de energias renovadoras por dentro do coração, mas chora trabalhando e servindo, auxiliando e amando sempre. E deixa que os corações amados, hoje no Mais Além, te enxuguem as lágrimas, inspirando-te ação e renovação, porque, no futuro, tê-los-ás a todos, positivamente contigo, nas alegrias do Novo Despertar.

EMMANUEL por Francisco Cândido Xavier em “Caminhos de Volta” – Ed. GEEM

ipati.org | Todos direitos Reservados.